jusbrasil.com.br
12 de Maio de 2021

Tráfico de drogas: o problema do Brasil

O usuário não é o vilão, tampouco o traficante, mas o Estado.

Pedro Magalhães Ganem, Operador de Direito
há 6 anos

Violência generalizada, homicídios, crimes patrimoniais, agressões...

A maior parte disso é consequência das drogas. Mas não das drogas em si (maconha, cocaína, crack, lsd...), e sim do combate às drogas.

Trfico de drogas o problema do Brasil

As chacinas, a perseguição do Estado aos mais pobres, as UPP's, a discriminação, os tiroteios, as mortes dos "bandidos" e dos policiais, menores da periferia fora da escola, o genocídio institucionalizado, tudo é decorrente da "guerra" ao tráfico de drogas.

Como podemos resolver essas questões? Com o fim do tráfico ilícito de entorpecentes.

Mas o fim do tráfico de drogas é obtido com o fim do consumo das "drogas" ou com o fim da proibição do consumo?

O maior mal das drogas está na criminalização delas, fazendo com que os envolvidos sejam marginalizados, delegando a distribuição dos entorpecentes aos mais frágeis da sociedade, e não no efeito causado àquele que a consome.

Não podemos acreditar que o mal está na droga (como substância), combatendo-as, demonizando-as, sob o argumento de que "fazem mal", pois várias outras coisas (como o bacon, por exemplo) fazem muito mais mal à saúde do que o consumo de "drogas", mas nem por isso são proibidos.

Trfico de drogas o problema do Brasil

Quantas pessoas morrem por dia em decorrência do combate ao tráfico de drogas e quantas morrem pelo uso das substâncias criminalizadas?

Faz sentido mantermos o combate às drogas, nos moldes como fazemos hoje? Qual o resultado obtido? As pessoas pararam de vender e de usar drogas?

Acredito que a resposta dessas perguntas seja não, motivo pelo qual devemos mudar a estratégia que vem sendo adotada.

Quero deixar claro que o debate não é favorável/contrário ao uso de entorpecentes, mas fazer pensar: onde está o problema, na substância ilícita ou no genocídio diário ("justificado" pelo combate ao tráfico)?

Temos de compreender, também, que o fato de uma substância ser lícita ou ilícita não faz com que seja mais ou menos consumida. O álcool e o tabaco, por exemplo, são substâncias lícitas, mas as pessoas não nascem com uma lata de cerveja e um maço de cigarro nas mãos.

Argumentar que a legalização aumentará o consumo é tão frágil quanto sustentar a impossibilidade pelo "mal" que fazem.

Na realidade, ao demonizarmos as "drogas", ao invés de entendê-las, caímos no objetivo daqueles que, hoje, nos "governam", que é tirar o foco dos reais traficantes, daqueles que verdadeiramente lucram com as drogas, os quais, engravatados, na Capital do Brasil, riem da nossa cara a cada morte decorrente do tráfico de drogas.

Se não querem que as pessoas usem drogas, lícitas ou ilícitas, eduquem melhor os seus filhos e sejam mais presentes em suas vidas. Não é a criminalização que afastará as pessoas do uso de entorpecentes.

Somos hipócritas o suficiente para apontarmos o dedo pra "favela", apoiando chacinas diárias, mas, escondidos, tomamos calmantes, relaxantes musculares, dentre várias outras drogas legalizadas todos os dias, com o mesmo objetivo daqueles que usam as drogas ilícitas.

O problema, então, está na criminalização ou no ser humano?

Uma coisa é certa, a criminalização das drogas e as medidas de "combate" não vêm resolvendo nada! Pelo contrário, só fazem aumentar a violência.

Que tal legalizarmos para ver o resultado?!

Afinal, como disse um dos nossos "políticos", "pior do que tá não fica".

Aproveito para te convidar a acessar o meu blog. Lá tem textos como esse e muito mais!


Gostou do texto? Recomende a leitura para outras pessoas! Basta clicar no triângulo que está em pé, à esquerda do texto.

Comente também! Mesmo se não gostou ou não concordou.

Para atingir um resultado maior e melhor, o assunto deve ser debatido e as opiniões trocadas.

Um grande abraço!

61 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Parabéns pelo conteúdo.
Infelizmente vivemos no Brasil a fase da "satisfação política".
O que é isso afinal?
A fase pós eleição.
Prometem de tudo nas campanhas e, após eleitos, começam as justificativas, isso não é desta atual gestão, são de todos que pela "casa maior" passaram.
São questões sociais que nunca foram resolvidas, não sei se por incompetência, ou, pretexto para novas campanhas.
As questões sociais são banalizadas, deixadas para segundo plano, como outras questões prioritárias. Em resposta a isso, temos esta foto como tantas outras, que chocam á aqueles que lutam por um país melhor, mas com mãos atadas, prezas a interesses de um "grupo" que olham para si e não para o todo.
O Estado é o vilão? Diante do exposto, sim. continuar lendo

Temos, nós brasileiros, que enxergar mais a realidade, verdadeira, do que aquela que nos é diariamente retratada por aqueles que nos governam.
Enquanto ficarmos discutindo, como crianças, qual candidato é "menos corrupto" ou "menos incompetente", fechando os olhos para o que realmente importa, não mudaremos.
E outra, não é o Direito Penal que resolverá nada. continuar lendo

Pela criminalização do bacon! continuar lendo

Não apoiado, o bacon é parente do torresminho, acompanhante da cachaça, e do ovo frito...rss continuar lendo

Kkkkkk exatamente , não devemos descriminalizar condutas prejudiciais a saúde por conta da ineficiéncia da conduta do estado , devemos é ser mais rígidos , um código penal mais punitivo e escolher os representantes que tenham na alma a vontade de mudar a nossa pátria e devolver nossa justiça na casa de cada brasileiro que luta por dignidade , por uma vida melhor ! continuar lendo

Parabéns, Pedro Ganem! Seu artigo reflete exatamente o que penso acerca do tema. O maior problema das drogas não reside exatamente nelas, mas na cruenta e espetaculosa guerra que se declara e se trava diariamente a pretexto dos males que representaria, consumindo milhões dos cofres públicos, marginalizando cidadãos, fomentando o uso e o tráfico incontrolável de armas, espalhando o medo e a insegurança no seio da sociedade, ceifando vidas e, pior de tudo, sem qualquer resultado positivo que pudesse acalentar a esperança de se estar ao menos caminhando no rumo certo!... Eu já disse pior de tudo? Pois bem, devo então retocar minha fala para afirmar que pior de tudo mesmo é que, por detrás da cortina de ignorância com que se encobre a vista do povo brasileiro, desfilam saltitantes e felizes aqueles a quem realmente interessa e beneficia todo esse satânico cenário, essa diabólica encenação da vida real!... É preciso repensar a política e os métodos até agora empregados, sob pena de se amargar a terrível angústia de atravessar e ver nossos filhos atravessarem os umbrais do Inferno, onde meu ilustre xará florentino divisara a desoladora inscrição: "Lasciate ogni speranza, voi ch'entrate!" continuar lendo

Justamente isso.
Enquanto mantivermos o nosso atual "modelo democrático"; enquanto bancarmos aquelas pessoas que "nos representam", pagando-lhes fortunas para nada, viveremos nesse grande feudo que chamam de Brasil. continuar lendo

Como afirmou FRIEDMAN: “as drogas são uma tragédia para os viciados. Mas criminalizá-las converte essa tragédia em um desastre para a sociedade, para usuários e não usuários igualmente”. continuar lendo

Esse é o ponto da questão. continuar lendo