jusbrasil.com.br
21 de Julho de 2018

Venha para a maior e mais eficiente manifestação de todos os tempos!

Pedro Magalhães Ganem, Operador de Direito
mês passado

Quando?

Em meio a tantas manifestações, é com imenso prazer que anuncio a maior manifestação popular da história do Brasil, marcada para o dia 02/10/2018, com início às 8h, horário de Brasília.

Ninguém vai nos segurar! Conseguiremos reunir mais de 140 milhões de brasileiros! E você, provavelmente, nem precisará sair de seu bairro para participar.

Como já devem ter percebido, com o objetivo de facilitar a participação do maior número de pessoas, o evento será em um domingo.

Como será?

“Nossa, Pedro! Que manifestação é essa?”

Simples, estou falando das eleições de presidente, governadores, senadores e deputados, que será a primeira eleição após toda essa conturbação que vivemos, com escândalos de todas as partes, envolvimentos de ex-presidente, atual presidente, presidente do senado, da câmara, do …, do …, do ….

Será nessa eleição que daremos início à retomada do poder, por meio do voto consciente.

Quais são os requisitos?

Só que precisamos de você, além do comparecimento.

Para que nada dê errado, é preciso que você se prepare um pouco. Não vá despreparado, pois na hora h pode falhar.

Quando eu disse para não ir despreparado, foi no sentido de que é necessário que você procure saber como está a situação política da sua região.

Veja, por exemplo, o que o seu candidato fez/não fez/deveria fazer nesse mandato. Busque saber, também, se eles ao menos foram às sessões, se propuseram algo de bom.

Hoje, com a internet, temos acesso a muitas informações que nos ajudam a ter uma noção de quem é o candidato que estamos votando, sua história, suas propostas, seu engajamento político, suas alianças, dentre outras.

Vou dar algumas dicas de como ficar por dentro do trabalho dos nossos políticos:

1) Ranking dos Políticos é um site onde você encontra informações sobre os Deputados Federais e Senadores;

2) Vidinha de Balada monitora os gastos dos nossos Deputados Federais;

3) Sr. Cidadão é um aplicativo de celular para você monitorar o trabalho dos políticos, enviando para você eventos importantes como votações e presença do (s) político (s) que você selecionou;

4) Operação Serenata de Amor é "um projeto de tecnologia que usa inteligência artificial para auditar contas públicas e auxiliar no controle social". De acordo com informações do próprio site, "A Serenata criou a Rosie: uma inteligência artificial capaz de analisar os gastos reembolsados pela Cota para Exercício da Atividade Parlamentar (CEAP), de deputados federais e senadores, feitos em exercício de sua função, identificando suspeitas e incentivando a população a questioná-los";

5) Operação Política Supervisionada é um projeto que busca informar os gastos da cota parlamentar a que cada membro do Congresso tem direito;

6) Monitora, Brasil também é um aplicativo que possibilita acompanhar a vida dos nossos parlamentares;

7) Por fim, mas não menos importante, temos o Atlas Político, um site cheio de informações, rankings, estatísticas de propostas de lei, aprovação e muito mais.

Portanto, caso o seu candidato já esteja exercendo um mandato, procure saber, além das suas propostas, como foi o seu desempenho.

Se está votando em um candidato que não está exercendo a função, veja o que ele traz de novo para o cenário, quais são as suas experiências, se já foi eleito outra vez e, nesse caso, como foi o seu desempenho, por exemplo.

Gastamos tanto tempo na internet com coisas que não são importantes, descobrindo qual a cor do cavalo branco de Napoleão, mas não procuramos saber sobre os candidatos, ato essencial para um bom e consciente voto.

O voto é importante para que os maus políticos não continuem nos seus cargos, dando espaço a novos políticos. E não se preocupe se o seu candidato não ganhar nessa eleição. Tenha certeza que o seu voto será muito importante para ele no cenário político e partidário, pois dará a ele condições para nova candidatura ou novas frentes.

Meu voto vai pra quem?

Quando votamos para preencher cargos do Executivo (Presidente, Governador e Prefeito), ganhará aquele que tiver o maior número de votos.

Já se o voto for para o Legislativo (Senador, Deputado Federal e Estadual e Vereador), não necessariamente será eleito aquele que tiver o maior número de votos, pois, em resumo, há uma regra diferente, considerando o total de votos da coligação de partidos (grupo formado por partidos que possuem interesses em comum).

Como lançarei um texto específico em breve sobre o voto, explicando pra onde vai o voto, não aprofundarei o tema aqui, prometendo a atualização quando da publicação do outro texto.

Voto nulo anula a eleição?

E outra, anular o voto ou votar em branco não contribui em nada para o nosso futuro, apenas ajuda os candidatos a se elegerem com menos votos.

Vale, inclusive, a leitura de um outro texto que fiz sobre votos não válidos e como eles atrapalham mais do que ajudam na hora dessa manifestação de revolta política.

Quando votamos em branco, nulo ou não votamos, o nosso voto é considerado inválido, ou seja será "descartado", visto que apenas são considerados os votos válidos para fins de eleger alguém, isto é, os votos que foram direcionados especificamente a um candidato.

Esse ato, portanto, não serve para anular uma eleição, como muitos pensam, apenas faz com que o seu voto não tenha validade alguma.

Existe um mito de que se mais da metade dos eleitores anular o voto teremos novas eleições. É mentira!

Aí você me fala: “Mas o artigo 224 do Código Eleitoral fala em uma nova eleição ‘Se a nulidade atingir mais da metade dos votos’. Assim, se mais de 50% dos brasileiros anular o voto, teremos uma nova eleição”.

Ocorre que a interpretação dada a esse artigo não é tão literal assim, até mesmo porque ele precisa ser analisado junto com toda a legislação que versa sobre o assunto.

Nesse ínterim, “para fins do art. 224 do Código Eleitoral, a validade da votação ou o número de votos válidos na eleição majoritária não é aferida sobre o total de votos apurados, mas leva em consideração tão somente o percentual de votos dados aos candidatos desse pleito, excluindo-se, portanto, os votos nulos e os brancos, por expressa disposição do art. 77, § 2º, da Constituição Federal”.

Ademais, “não se somam aos votos nulos derivados da manifestação apolítica dos eleitores aqueles nulos em decorrência do indeferimento do registro de candidatos; afigura-se recomendável que a validade da votação seja aferida tendo em conta apenas os votos atribuídos efetivamente a candidatos e não sobre o total de votos apurados” (TSE – Agravo Regimental em Recurso em Mandado de Segurança nº 665, Acórdão de 23/06/2009, Relator (a) Min. ARNALDO VERSIANI LEITE SOARES, Publicação: DJE – Diário da Justiça Eletrônico, Volume -, Tomo -, Data 17/08/2009, Página 24 ).

Desse modo, para a realização de nova eleição, é preciso que mais da metade dos votos válidos seja anulada, como por exemplo no caso da impugnação da candidatura de determinado candidato que teve mais de 50% dos votos válidos.

Nesse atual momento crítico que vivemos, precisamos do maior número possível de eleitores votando. Chega de quase a metade de votos nulos/brancos/justificações e afins.

Vamos mostrar pra “eles” que efetivamente queremos mudança e que somos nós que mandamos aqui!

Então, não deixem de comparecer, no dia 02 de outubro de 2018, a partir das 08:00h, para a maior manifestação popular da história do Brasil, onde daremos início ao maior jogo de cadeiras da nossa curta história política.

Se preciso, vamos mudar todo mundo, não reelegendo ninguém.

Conto com você!

O Brasil precisa de você!


Aproveito para te convidar a acessar o meu blog (Para mudar paradigmas) (clique aqui para acessá-lo.

Lá tem textos como esse e muito mais!

Gostou do texto? Recomende a leitura para outras pessoas! Basta clicar no triângulo que está em pé, à esquerda do texto.

Comente também! Mesmo se não gostou ou não concordou.

Para atingir um resultado maior e melhor, o assunto deve ser debatido e as opiniões trocadas.

Um grande abraço!

11 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

É um paradoxo, mas, infelizmente, a situação decorrente da grave crise política/representativa por qual passamos, e o desenvolvimento de formas de controle e o cada vez maior acesso a informação, lança os eleitores, as vésperas do período eleitoral, em praticamente uma "escolha de Sofia" para destinar nossos votos. Nunca escolher em quem votar se tornou tão difícil e ao mesmo tempo tão importante.

Com toda a informação disponível hoje, e sabendo de forma relativamente fácil quais são os políticos envolvidos nos mais diversos crimes, praticamente ou logo após quando acontecem, e isto sendo infelizmente quase um lugar comum em quase todos os partidos, a escolha se tornou ainda mais difícil.

Uma mudança de 100% em todos os representantes, convenhamos, não será algo fácil e certamente, não trará resultados imediatos. Diante de tudo aquilo que foi descortinado nos últimos tempos, podemos até, através do nosso voto e escolha, mudar aqueles que, em tese, nos representam, mas a máquina política e governamental encontra-se viciada por práticas, condutas, modos e forma de agir que levou toda a classe política a um estado de desconfiança que afasta mais ainda aqueles únicos que poderiam tentar mudar, mais uma vez, todo este estado de coisas, através do voto, forma única esta colocada a disposição.

E aí que reside o principal desafio. Como despertar na população mais uma vez a expectativa de mudança através do voto? O candidato que conseguir descobrir este segredo poderá fazer toda a diferença nas eleições. Mas, quem nos garante que, mais uma vez, aquele que porventura escolhermos, será capaz de honrar nossas escolhas?

Enfim, o momento é de escolha, e nunca essa escolha poderá fazer diferença entre permanecer o atual estado de coisas ou mais ou vez tentarmos mudar a realidade.

O voto consciente nunca teve tanta importância e, ao mesmo tempo, nunca foi visto com tanta desconfiança pelo seus portadores. continuar lendo

Indico os canais no YouTube: Conversa Afiada (Paulo Henrique Amorim) ; Leonardo Stoppa; Notícias Comentadas ; Nocaute TV (com notícias internacionais) e TV 247.

Sites:

Viomundo
Brasil 247
pragmatismo político continuar lendo

Indico EVITAR tais canais.
Sério risco de enjôo. continuar lendo

Estou com o José Francisco: indico evitar a qualquer custo. Grandes propagadores de fake news!!! continuar lendo

Desculpe, mais com todo respeito, não tem nenhuma fake news. Não perderia o meu tempo, vendo canais de fofoca, Big Brother Brasil , jornais que não tem conteúdo e de fake news.

Os canais possuem jornalistas como o Luis Carlos avenha, Luis Nassif (GGN) e Paulo Henrique Amorim.

São jornalista como os outros, a diferença é que eles não se venderam.

Pelo contrário, diariamente, eles mostram as técnicas de manipulação da grande mídia, que eu conheço há muito tempo. continuar lendo

Sr. Maximiliano, todos os sites e jornalistas que você cita são de esquerda. E para promover a esquerda, ou atacar tudo o que eles acham que é “direita”, vale tudo, até mesmo mentir. Fazem a mesma coisa da “grande mídia” (quando não pior), só que na versão canhota.

Se quer fugir das fake news, minha sugestão é: procure as fontes primárias! Faço isso há anos. Ao invés de ler em um Brasil 2+4+7 (=13) que o impeachment foi “golpe” e “carro à frente dos bois”, por exemplo, leia o relatório do TCU e a Lei de Responsabilidade Fiscal, assim como a Lei 1.079/50. Ou então, ao invés de ler que “não existe déficit da previdência” ou que ela é “superavitária”(Viomundo), vá nos dados da União ou até mesmo no relatório do TCU sobre a previdência. E tudo aquilo que for diferente dali é fake news (a não ser quando for questionamento da metodologia, mas que deve ser feito a partir de um artigo científico de revisão metodológica).

Caso contrário, com todo respeito, é escolher a mídia que melhor faz o viés de confirmação, e dai não se consegue enxergar as fake news.

Abraços! continuar lendo

Acho que as pessoas deveriam formar uma idéia de projeto de nação, com projeções políticas, econômicas e sociais, antes da escolha de seus partidos e candidatos. Somente após essa convicção que deveria ser feita a escolha de quais serão os contemplados ao voto — ou não.

No Brasil, é extremamente comum o contrário: o discurso de um projeto vir embalado para o eleitorado, que, por sua vez, compra a tese de determinados candidatos. Por isso que vemos incoerência em votos em uma mesma eleição, ou de uma eleição para outra, pois não existe um ideário na mente antes de votar.

Ademais, não vejo grandes problemas com voto nulo ou branco. Voto é exercício de consciência! Se a pessoa não se sente à vontade em votar em nenhum candidato, está mais do que certa em anular ou votar em branco. Escolher um por escolher não ajuda em nada.

E só para lembrar: o voto no Brasil é em lista aberta nas eleições proporcionais. Ou seja, o eleitor vota NO PARTIDO com preferência em determinado (s) candidato (s). Como já decidido pelo STF, o mandato nestes casos é do partido — com algumas exceções. continuar lendo

Eu acho que todos brasileiros e brasileiras não deveria vota só tem ladrões em Brasília governo que não liga para povo um governo que não dá oportunidade os negros tratados como escravos um país onde tem sua bandeira ordem progresso onde está ordem onde está progresso um governo que deixa pobre cada dia mais pobre um governo que deixa 12 milhões de pessoas sem trabalho ainda manda prender um cidadão que deixou de pagar pensão por causa das atribuições atitudes dele um senado que não funciona uma justiça que nega seus direitos senhor presidente da república deveria ter vergonha tá matando povo brasileiro continuar lendo