jusbrasil.com.br
15 de Dezembro de 2018

As 10 drogas mais perigosas do mundo

Pedro Magalhães Ganem, Operador de Direito
há 3 anos

O que é droga pra você? Bem, a definição de droga no dicionário é “toda substância usada em química, farmácia etc.” Ou ainda “narcóticos ou entorpecentes traficados”. Drogas são conhecidas pelo potencial viciante, mas como diz aquele texto, “Tudo que vicia começa com ‘C'”, cigarro, café, Coca-cola, computador… Mas nem toda droga é viciante e destrutiva a curto prazo. As que são, o Ultra vai te mostrar nessa matéria.

O site IFL SCience, escreveu sobre os fatores a serem considerados na “eleição” da droga mais potencialmente perigosa. Eles publicaram uma pesquisa do Imperial College de Londres que fez um ranking das drogas mais destrutivas. Os estudos consideraram os danos a curto e longo prazo, o custo dos tratamentos de saúde e reabilitações e ainda o custo do combate ao tráfico – no caso de algumas.

Os cientistas observaram a taxa de mortalidade, prejuízo mental e material como perda de bens, emprego etc., lesões físicas e atividades criminosas. Dá uma olhada em como ficou o ranking:

10- Benzodiazepínicos

As 10 drogas mais perigosas do mundo

Os Benzodiazepínicos são usados nos tratamentos de distúrbios de ansiedade e tensão. Têm propriedades sedativos, relaxantes musculares e anticonvulsivantes. Causam pouca depressão no sistema nervoso central, mas se usados em grandes quantidades podem levar ao coma.

9- GHB

As 10 drogas mais perigosas do mundo

Droga conhecida como G – pronúncia em inglês – ou ecstasy líquido. GHB é a sigla para ácido gama hidroxibutírico. Tem a versão GBL que é o ácido gama butil-lactona. As altas dosagens podem causar convulsões, coma e morte por depressão respiratória.

8- Maconha

As 10 drogas mais perigosas do mundo

A famosa cannabis entrou na lista em oitavo lugar por conta do custo que sua proibição acarreta pros Estados. Ela mostra pequeno potencial ofensivo ao organismo e é mais perigosa ilegal do que legal, pois traficada ajuda a financiar o crime. Pra se ter uma ideia, os Estados Unidos gastam em média 20 bilhões por ano na luta contra o tráfico de maconha.

7- Anfetamina

As 10 drogas mais perigosas do mundo

Anfetaminas são estimulantes – inclusive encontradas em pílulas de ecstasy. Oferecem aumento de energia, euforia e excitação, mas o uso prolongado leva a alterações de humor, alucinações, paranoias e agressividade. O chamado ‘rebite’, popular entre estudantes e motoristas que precisam trabalhar nas madrugadas, é uma anfetamina popular.

6- Cigarro

As 10 drogas mais perigosas do mundo

Tabaco ficou atrás apenas da cocaína por conta dos danos a longo prazo, as perdas por conta da dependência e custas dos tratamentos de problemas acarretados pelo fumo.

5- Cocaína

As 10 drogas mais perigosas do mundo

A pesquisa constatou que a cocaína é cara e as pessoas não fazem ideia do que podem estar inalando ou injetando. As misturas preparadas para venda em massa levam quantidades relativamente pequenas de cocaína pura misturada a farinha, cloridrato de metilfenidato, adrenalina, fluido de bateria e até vidro moído.

4- Meta Anfetamina

As 10 drogas mais perigosas do mundo

Meta anfetamina é também chamada de cristal. Sua forma de administração varia, podendo ser fumada, cheirada, diluída e injetada na corrente sanguínea ou no ânus (sem agulha). A droga causa hipertermia, aumento da pressão sanguínea que, dependendo do ritmo, pode levar a ataques cardíacos, derrame cerebral, coma ou morte. Usuários de meta podem passar dias sem dormir e desenvolverem paranoia e desejo de suicídio.

3- Crack

As 10 drogas mais perigosas do mundo

O crack é o subproduto da cocaína. Os dejetos químicos que sobram do refino da cocaína são acessíveis – barato – e tem grande concentração química. Essa relação de custo e efeito coloca o crack entre as drogas com maior potencial destrutivo.

2- Heroína

As 10 drogas mais perigosas do mundo

A droga que matou Kurt Cobain é conhecida pelo poder de causar dependência e aumentar a depressão do sistema nervoso central, levando a casos de dependência psíquica e física. A longo prazo, quando não leva a morte, a droga causa danos neurológicos irreversíveis.

1- Álcool

As 10 drogas mais perigosas do mundo

O álcool encabeçou a lista por vários fatores. Agrava os casos de depressão, seu uso a longo prazo causa doenças no fígado, cânceres e danos cerebrais. Causa dependência física e psicológica e, além de ser acessível, tem seu consumo estimulado pela publicidade. Mas os danos do consumo de álcool não afetam só o indivíduo. São inúmeros os casos de mortes por brigas acidentes de trânsito com mortes causados por pessoas embriagadas. O Estado tem o custo da fiscalização de consumo (por motoristas e menores) em contrapartida ao estimulo do uso.

Fonte: Ultra Curioso


Finalmente, aproveito para te convidar a acessar o meu blog. Lá tem textos como esse e muito mais!

15 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Fiquei surpreso com a pesquisa, o triste é saber que a publicidade em torno do álcool não para, a droga mais letal ironicamente é a mais aceita em nossa sociedade. continuar lendo

Pois é, Michel!

Se não bastasse a publicidade, tem o incentivo cada vez maior.

Hoje, a onda é vodka + energético, e nem imaginamos o risco. continuar lendo

Pesquisa carente de credibilidade; leva muito em consideração os aspectos econômicos. Imaginem só os usuários de crack debochando dos bebedores de cerveja. O álcool não é a droga mais ofensiva; a droga mais ofensiva é a desinformação e a falta de educação. O álcool, utilizado com moderação, é até benéfico para o organismo e para o convívio social, haja vista os brindes de aniversário, final de ano, etc. Os pesquisadores estão falseando a respeito do tema, que tem que ser abordado com um pouco mais de seriedade e de responsabilidade. continuar lendo

No caso, Ruy, eu não tenho dados para contradizer o que exposto.

Com relação ao uso moderado, não é só o álcool que pode ser benéfico ou não fazer mal.

Usando moderadamente, droga alguma tem tanto potencial lesivo, o problema sempre está no uso excessivo, sempre!

Um grande abraço! continuar lendo

Olá, Pedro, todos os psicotrópicos são desaconselhados, salvo quando utilizados com critério médico. Maconha, cocaína, crack, heroína, são caminhos sem retorno. Mesmo quando alguém consegue se afastar, leva consigo as sequelas. Minha objeção à pesquisa é que colocaram o álcool como "a droga mais perigosa". Conheço pessoas com filhos adolescentes que resolveram usar drogas; diante de uma pesquisa dessas, estarão justificados cada vez que os pais aceitarem ou oferecerem um 'drink' a quem quer seja... Obrigado pelo seu comentário. Abração. continuar lendo

Você que não entendeu, o álcool dentre as drogas citadas deve ter provavelmente o efeito mas fraco ao organismo, sendo necessário tomar uma boa quantidade para sentir algum efeito, o problema dele é justamente sua aceitação e popularidade, então no total, em comparação com qualquer outra droga, o álcool é o que faz mais estrago! Inclusive o argumento de que álcool em moderação pode ser benéfico a saúde pode ser usado no caso da maconha também, ela tem propriedades medicinais, e não, maconha não é um caminho em volta, ela inclusive é menos viciante que álcool e nicotina, tem um efeito mais fraco que a nicotina. continuar lendo

"A famosa cannabis entrou na lista em oitavo lugar por conta do custo que sua proibição acarreta pros Estados."

O problema é a cannabis ou a proibição? continuar lendo

Pedro, o grande problema da cannabis citado pela reportagem é o custo da proibição. Então se a droga não fosse proibida, não haveria motivo (pelo menos entre os elencados pela ranking) para a mesma estar listada como entre as mais perigosas.

Culpa da maconha ou do fato de ela ser proibida? continuar lendo

Claro, Diego!

O meu "?!" foi justamente corroborando a sua pergunta.

Concordo com vc! continuar lendo

LSD, MDMA e os psicodélicos, em modo geral, tudo na lanterninha... atrás até mesmo de alguns fármacos. Vai entender a proibição de determinadas drogas e de outras não. Sem nenhum critério científico. continuar lendo

Entender até dá, política pura, interesse público misturado com o privado, e/ou vice-versa...
Se são motivos justos ou não... continuar lendo