jusbrasil.com.br
9 de Agosto de 2022

Bolsonaro defende que a PM mate mais no Brasil

Pedro Magalhães Ganem, Advogado
há 6 anos

Bolsonaro defende que a PM mate mais no Brasil

São Paulo - A alta letalidade policial no Brasil ainda é pequena na opinião do deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ).

Em vídeo postado pelo seu filho, o também deputado Eduardo Bolsonaro (PSC-SP), o parlamentar fluminense afirmou que “violência se combate com violência”, e não com bandeiras de direitos humanos, como as defendidas pela Anistia Internacional.

Questionado sobre um levantamento da organização que mostrou que a polícia brasileira é a que mais mata no mundo, Bolsonaro se irritou e disse que ainda é pouco diante da criminalidade que impera no país.

“Eu acho que essa Polícia Militar do Brasil tinha que matar é mais. Quase metade dessas mortes são em combate, em missão. Então, a Anistia Internacional está na contramão do que realmente precisa a segurança pública do nosso país”, afirmou o parlamentar do PP.

Dados da 9ª edição do Anuário de Segurança Pública, publicados pelo jornal Folha de S. Paulo, mostram que 3.022 pessoas foram mortas por policiais no Brasil em 2014 – uma média de oito por dia.

O número é maior, por exemplo, do que o número de vítimas dos atentados de 11 de setembro de 2001, nos EUA.

Em 2015, só a PM de São Paulo já matou mais de 570 pessoas, e caminha para bater o recorde do ano passado, quando matou quase 1 mil.

A letalidade policial é um dos elementos que levam o país a ser mais mortal do que nações que vivem conflitos bélicos, com 56 mil homicídios anuais.

Só envolvendo a juventude, é como se caísse um avião a cada dois dias, conforme disse a Anistia ao Brasil Post no fim do mês passado, durante o lançamento de uma exposição em São Paulo para debater a violência contra os jovens brasileiros – 77% dos quais homens, negros e pobres. Para Bolsonaro, a Anistia é formada por “canalhas” e “idiotas”.

“Esses canalhas tinham que ensinar na prática como o policial militar tem que agir. O policial vai ter que decidir entre reagir e ir pra cadeia e não reagir e ir para o cemitério. Esse pessoal da Anistia, se um dia eu tiver um mandato presidencial, vocês não vão mais interferir na nossa vida interna aqui do nosso país. O marginal só respeita o que ele teme”, analisou.

Para Bolsonaro, é preciso “dar segurança jurídica” para que a polícia possa trabalhar, matando se for necessário.

“Eu tenho um projeto aqui na Câmara, se alguém está roubando uma bicicleta, se eu atirar naquele vagabundo, eu não respondo por crime nenhum. Eu não sou mais passível de ser punido. Tem que ser assim, caso contrário, cada vez mais, esse pessoal vai mudando o nível, começa a roubar lá em baixo, até que começa a roubar a Petrobras com Dilma apoiando”, emendou o deputado.

Por fim, questionado sobre um episódio registrado em São Paulo recentemente, quando um PM foi filmado jogando um suspeito de ter cometido um roubo do telhado de uma casa, Bolsonaro chegou a lamentar à sua maneira.

“Tinha que ser um prédio, ok? Infelizmente foi de uma casa. O vagabundo respeitando o policial, não vai virar esse tipo de ações, pode ter certeza”.

Muito bem votado nas últimas eleições, em 2014, Bolsonaro estuda deixar o PP e se filiar a outro partido (a bola da vez é o PSC, do Pastor Everaldo e de Marco Feliciano) para tentar uma candidatura à Presidência da República, em 2018.

FONTE: Exame


Finalmente, aproveito para te convidar a acessar o meu blog. Lá tem textos como esse e muito mais!

Gostou da notícia? Recomente a leitura para outras pessoas! Basta clicar no triângulo que está em pé, à esquerda do texto, ou no coração, caso esteja na versão mobile.

Comente também! Mesmo se não gostou ou não concordou.

Para atingir um resultado maior e melhor, o assunto deve ser debatido e as opiniões trocadas.

Um grande abraço!

Informações relacionadas

Canal Ciências Criminais, Estudante de Direito
Artigoshá 5 anos

Bandido bom é bandido morto

150 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Em partes ele está certo por exemplo quando diz que: vagabundo só respeito o que teme.
E sim é necessário dar segurança jurídica e treinamento de "verdade", para as policias do país, como nos EUA quando um policial mata um bandido é condecorado, aqui ele sofre as sanções administrativas. Recentemente li uma matéria que policiais após desarticularem uma quadrilha de assalto a banco no momento do roubo, receberam certificados pelo belíssimo trabalho, estamos no caminho ! continuar lendo

O problema, Matheus, não é defender uma polícia melhor, é defender uma polícia mais violenta. Ser melhor não é ser mais violento.
O Estado tem como objetivo garantir a vida e não tirá-la.

Um grande abraço! continuar lendo

Pedro, é exatamente aí que mora a questão, como diz você, "o Estado tem que garantir a vida, não tirá-la", e então lhe pergunto, isto também não vale para o cidadão comum, ou só para os marginais? E se você concordar que o Estado tem que nos proteger dos marginais, então, com que "instrumentos", se não a polícia, o Estado poderá fazê-lo???
É evidente que existem as "medidas" adotadas pelos marginais, e portanto, as "contra-medidas" usadas pela polícia, tem que ser, no mínimo, de igual poder ofensivo...fico pasmo vendo toda sua articulação em defender marginais, será que seu esforço não estaria melhor empregado em defender a sociedade e a família? continuar lendo

Articulação em defender marginais, José?
Acho que entendeu errado.

A definição de crime e criminoso é muito complexa e não há possibilidade de defender que "bandido bom é bandido morto".
Sequer sabemos quem é bandido.
Quer dizer, então, que a polícia pode entrar no Congresso/Senado e matar todo mundo?
Pode ir nas grandes empresas e matar o presidente?
Pode matar quem dirige embriagado?

E como saber que a pessoa que foi morta por ser bandido realmente era bandido? Como saber se ele foi o autor do crime se nem mesmo processo criminal foi instaurado? Sem sentença condenatória? Sem direito de Defesa?

Eu defendo a vida e não marginal.
Defendo o ser humano.
Defendo o Direito. continuar lendo

Esse deputado é completamente desequilibrado!
É o espelho do nosso Congresso Nacional. continuar lendo

Pedro:
Nunca estive tão próximo a vc em uma opinião. É isso, doa a quem doer. continuar lendo

É totalmente compreensível a população aderir ao posicionamento do Bolsonaro, a violência no Brasil está absurda, os marginais simplesmente não temem mais polícia ou mesmo a Justiça, matar se tornou algo banal porque para eles acaba compensando. continuar lendo

Fausto:
Na verdade, cada um procura defender o seu lado e de preferência pela forma mais direta e simples. Ninguém gosta de ladrão, ninguém gosta de bandido, todos sabemos o quanto eles estão agressivos, e tudo aquilo que são capazes de fazer.
Eu e minha família já ficamos reféns em casa, com armas na cabeça enquanto eles carregavam tudo que podiam. Sabe no que deu? Em nada.
Isso tem uns 8 anos. Andei um ano inteiro com uma pistola PT 380 na cintura (eu tinha porte) procurando pelos bandidos. Não tive sorte, ou tive, ainda não sei. Eu atiraria em cada um sem piscar. A revolta é muito grande. Provavelmente se tivesse feito, hoje estaria arrependido.
Mas não podemos delegar para a polícia que assuma a justiça só porque esta não funciona. Não podemos transformar cada policial em juiz e executor. Os bandidos são outros, nós não. Somos cidadãos e o papel da polícia é manter a ordem e não matar.
Temos problemas com o governo do estado, que inibe a atuação da polícia, mesmo porque ele responde como chefe supremo. Temos corrupção de sobra nas polícias.
Por outro lado, a segregação social é uma verdadeira fabrica de delinquentes e para quem costuma dizer que não, basta uma pesquisa. Vai encontrar um ou outro bandido por opção, mas a grande maioria vem da miséria. Muitos sofrem da omissão generalizada dos pais e do estado e crescem nas ruas e nas lá não se aprende nada que valha a pena. Veem os outros consumirem e também querem. Vão buscar assaltando, roubando, matando. Se tornam assassinos em potencial. Felizmente, muitos ainda seguem o caminho do bem. Muitos outros, acabarão sendo mortos ainda jovens e eles sabem disso. Por isso, nada tem a perder.
Vamos resolver isso assassinando também? Tal qual Hitler? Vamos resolver o problema da miséria, do abandono, da falta de educação, de oportunidades, da presença do estado, matando a todos?Mataremos mil e se formarão mais dois mil. Morreremos também. Será uma guerra social sem fim. Todos odeiam bandidos, mas quando se fala em melhor distribuição de renda, difícil quem aceite fazer sua parte.
Carecemos de um sistema prisional e penal moderno que vise a recuperação e não seja apenas o que é, uma escola de criminalidade. Precisamos de mais educação. Oportunidades de trabalho. É para isso que precisamos de um governo e o nosso desgoverno só fez desaparecerem mais 10 milhões de empregos nos últimos tempos. Para onde você acha que isso leva, senão à mais violência? Imaginar que com a polícia matando mais se resolveria o problema de violência e ainda mais, isso dito por alguém que teria como obrigação conhecer as nascentes da criminalidade, como é o caso do Sr. Bolsonaro, é até irônico, se não ridículo. continuar lendo

As pessoas que se dizem defender a vida, normalmente defendem bandidos.
Quem nunca teve a oportunidade de ver de perto o trabalho de uma policia ostensiva não tem conhecimento mínimo necessário para debater sobre o assunto, a criminalidade do Brasil é uma das maiores do mundo e quando digo criminoso "Pedro Magalhães Ganem" estou dizendo daqueles crimes de maior poder ofensivo, crimes contra a vida, outros que resultam nesse mesmo fato. Latrocínio, Homicídio, Lesão corporal seguida de morte entre outros. A taxa de homicídio do Brasil é maior que de países em guerra. Estamos em situação análoga de países que vivem guerra civil e extremismo religioso. O Brasil vive a guerra do trafico de drogas. Esse ano o Brasil e o país numero um em consumo de cocaína passando os EUA e os hermanos.

O problema do estado está na processo penal e código penal. Na ponderação dos crimes conforme sua gravidade e no processo para isso acontecer. Bandido não entende debate entende punição, se não houver uma punição proporcional ao crime. O país não terá futuro.

Sobre mortes em ações policiais. Qualquer atitude a qual o meliante apresentar poder de fogo e houver 1% de chance de retirar a vida de um cidadão de bem, esse deverá ser neutralizado pelas forças policias.

O estado tem que proteger a VIDA, primeiramente a vida do cidadão de bem. continuar lendo

Vamos parar com a "hipocrisia". Nosso Brasil está o caos atualmente, enquanto em Brasilia luta-se politicamente, em Curitiba luta-se juridicamente, enquanto isso no restante do país, ladrões, traficantes, viciados, assassinos andam a solta sem serem importunados por ninguém.
Os comentários que atacam o deputado Jair Bolsonaro e seus filhos, dão a medida exata da situação caótica em que vivemos, pois enquanto se discute e se ataca quem defende o conceito de família, este é achincalhado diariamente por uma parcela da sociedade que NUNCA teve um familiar morto por um bandido.Quando, e se acontecer de ladrões invadirem suas casas, estuprarem sua esposa e/ou filha, matar um familiar, ai irão aos meios de comunicação para pedir a pena de morte.Jair Bolsonaro é radical? Sim , mas na defesa de suas convicções.Ainda assim prefiro esse senhor na presidencia da republica ao invés de Lula,Dilma,FHC,Color,Sarney, Temer,Renan,Cunha,Maluf e mais um bando de parasitas da pátria.Basta ver os numeros de roubos,assassinatos de inocentes que o nosso país apresenta nos dias atuais.Ou mudamos as leis para endurece-la um pouco mais, ou sucumbiremos ao crime organizado .....ou não.
Ass. um aposentado que ainda pensa com a propria cabeça. continuar lendo

Bem, vejamos!
Primeiramente cumpre salientar que muitas das pessoas que emitem opinião à favor da pena morte, redução da maioridade penal, etc., tem pouco ou nenhum conhecimento de causa, da eficiência ou da aplicabilidade acerca desses institutos.
Isso muito me assusta, pois, creio estar em um ambiente focado nas discussões jurídicas onde existem bom senso, leitura, um profundo estudo etc. - pontos essenciais para ao menos ofertar uma opinião que contribua para o crescimento de todos os leitores.
Não é o que se vê!
É com pesar que assisto brasileiros partidaristas em situações as quais dependem de muito mais do que simplesmente escolher um lado por empatia para exprimir opiniões (leia-se "doxa").
Enfim, é doloroso ler o comentário de alguns "juristas" que buscam vingança social nessas penalizações e estão longe de manter o foco na melhoria social como todo (sem falar na aberração de abrir mão de um direito legítimo, qual seja não permitir o Estado ceifar vidas).
Mas... vamos aos fatos?
A pena de morte está largamente sendo excluída de inúmeros ordenamentos jurídicos ao redor do mundo, principalmente em países ditos de primeiro mundo.
A razão é a ineficiência da pena de morte em resolver os problemas sociais, o seu alto custo (se for de seu interesse procure informações, por vezes, em razão de movimentar toda a esfera judicial do Estado, a pena de morte sai mais caro que uma prisão perpétua) e ainda o fato dos possíveis erros na sua aplicação.
Ora, levando-se em conta que temos a polícia que mais mata, é fato já se ter uma pena de morte não institucionalizada, independente do devido processo legal, e a preço de banana.
Nessa senda (patente o absurdo) chega a ser burrice ver pessoas à favor da "legalização" da pena de morte, pois, estaria remetendo ao já abarrotado judiciário, casos que seriam exaustivamente debatidos antes de se chegar a um veredicto, custando tempo e dinheiro do Estado.
Poderia discutir sobre o fato social, sobre a conduta criminosa em países emergentes, sobre a relação desproporcional no cumprimento do contrato social, mas, como já dito, percebo ser tão somente uma questão partidária atrelada à busca por vingança social.
Segue alguns dados e questões para reflexão:

"Apenas seis Estados (Flórida, Georgia, Missouri, Oklahoma, Texas e Virgínia) conduziram execuções, o menor número em 27 anos, sendo que três deles (Texas, Missouri e Georgia) foram responsáveis por 86% das execuções."
A pena de morte é tão ineficiente que o Texas continua sendo o Estado norte americano que mais executa presos.

"Contrariando a crença de que a pena de morte diminui os crimes, Wisconsin (que aboliu a pena de morte) tem uma das taxas de crime per capita mais baixas dos Estados Unidos"
O que diminui a criminalidade são políticas sociais, igualdade de condições sem distinção de gênero, cor e raça etc.

"Anthony Ray Hinton tinha 29 anos anos quando foi condenado à morte por dois homicídios em 1985 nos Estados Unidos. Ele passou as últimas três décadas em uma prisão do Alabama até seu caso ser revisto recentemente - a condenação foi revertida após testes com as balas usadas nos crimes não comprovarem que elas haviam saído da arma encontrada na casa de Hinton." continuar lendo

Eu penso como Bolsonaro. Criminoso não pode ter vez no seio da sociedade. Chega desse "mi mi mi" de querer passar a mão na cabeça de ladrões, assassinos, estupradores, etc. Nós, cidadãos de bem, temos o direito de vivermos em paz. Muita gente fica aí dizendo que os presídios estão superlotados e que não fornecem meios dignos, mas acontece que esses facínoras estão lá porque cometeram crimes, portanto, não se enquadram como cidadãos de bem e, por conseguinte, devem sofrer na prisão. Infelizmente é a nossa realidade. Hoje ninguém pode andar com um celular na rua que os ladrões tomam e, às vezes, ainda matam. Eu sou a favor da família e da paz, mas o Estado deve repreender a violência de igual pra igual. continuar lendo

Não chega a surpreender o posicionamento de um indivíduo que exalta torturadores como heróis. Infelizmente, estamos vendo um estranho cultivo de ideias fascistas, com a adesão muito forte de jovens que não querem estudar História e que ficam repetindo bordões reacionários. continuar lendo

Esse é o grande problema, Gerônimo, pessoas que apenas repetem e repetem, como se fossem papagaios. continuar lendo

Hoje em dia os indivíduos trocaram a caixa encefálica por uma câmara de eco da mídia. O Bolsanada perdeu a maior chance da vida dele em 17 de Abril. Ele provou e comprovou que o Tiririca é mais preparado do que ele para ser um deputado consciente. Um palhaço, aguardado, pegou o microfone, deu um sorriso, seu voto, virou as costas e voltou para seu lugar. continuar lendo

Acho que o amigo que não estudou a historia e não tem conhecimento jurídico.
Em primeiro saudoso Ustra não foi condenado, foi em coro, acusado por terroristas da esquerda, e em segundo, se esses terroristas tivessem assumido o pais à época, vossa excelência estaria passando fome como na Venezuela e não estaria escrevendo bobagens se achando dono da razão. continuar lendo

Sr.Geronimo; o que me diz de milhões que exaltam Lula e Dilma Rousseff? Esse (s) torturador como diz, era do exército brasileiro e combatia pessoas que entre outras coisas, lutavam para implantar em nosso país um socialismo arcaico tipo Chinês,Coreano,Russo,Cubano.Ou o sr. desconhece as "façanhas" cometidas Por Dilma, Zé Dirceu,Aloisio Nunes,Diógenes do PT, Marighela, Carlos Minc e uma infinidade de outros párias da nossa sociedade?Não sei a sua idade mas; eu tenho 69 anos e vivi todo aquele periodo e acompanhei as peripécias praticadas principalmente por "Estela ou Dulce", esses alguns dos codinomes da presidente Dilma, que ajudou a assaltar bancos,quartéis,casas comerciais (lojas) e praticou de atentados a bomba e de assassinatos.Quem é mais idoso (como eu) recorda-se de Mario Kozel Filho, explodido por carro bomba lançado pelos terroristas c/a presença e participação de Dilma, ou de Orlando Lovéchio que teve a perna amputada em decorrencia de bomba lançada contra o Consulado Americano na Av.Paulista (Orlando teve o azar de passar pelo local naque instante), bomba essa lançada pelo grupo de Dilma que tinha a frente Diógenes do PT?
Quem não se recorda de José Genoino que ao ser preso no Pará, em menos de 05 minutos (tal a covardia que demonstrou) entregou todos os "companhêros" de guerrilha (mais de 60) que foram presos pelo exército.
Esses são os heróis cultuados e pior, eleitos como representantes de alguns, após a "anistia ampla,geral e irrestrita" promovida pelos militares antes de entregar o governo aos civis.
Também acho que muitos nesse país, tem preguiça de estudar a história do Brasil, e ficam por ai a pregar coisas que NÃO vivenciaram.
Ass.um aposentado que pensa c/a propria cabeça. continuar lendo

Acho preocupante pessoas falaram a palavra "fascismo" sem saber o que significa. continuar lendo

Eu vivencio as palavras de bolsonaro.
A pouco tempo atras , eu e meu pai de 60 anos levamos uma surra de 3 vagabundos com passagem pela polícia, que sabiam da minha profissão. Corri em casa , peguei minha arma , tentaram tomar a arma da minha mão , fiquei com medo de atirar neles para eu não ir preso e não adiantou . na tentativa de me desarmarem, minha pistola disparou e acertou uma menina de raspão na perna . socorri a menina e me apresentei na delegacia , fui preso imediatamente .meus agressores ainda saíram rindo da minha cara.
Hoje em dia tenho medo de sair de casa com minha família. E na minha folga , mesmo que eu esteja armado , eu não banco herói e no meu serviço faço o minimo previsto . ser preso , morto ou perder meu emprego bancando herói ? Negativo . "feijão com arroz não tem espinha". Não sou a favor da violencia ,mas a sociedade odeia PM, favorecendo assim a violencia por parte de quem vive na sacanagem . quem acaba se tornando vítima da violência somos nós e nossa família, quando digo : "Nós" me refiro as pessoas de bem.
"Melhor se julgado por seis do que carregado por sete". continuar lendo

Meu pai é comerciante e levou um tiro no joelho num assalto no supermercado dele... fez duas cirurgias, passou 60 dias deitado na cama sem poder se levantar e 6 meses de cadeira de rodas, ficou com sequelas... a polícia nunca descobriu nem o autor do tiro e meu Pai precisou entrar na justiça pra conseguir se aposentar aos 66 anos de idade... O Governo não reconheceu nem que ele tinha sido incapacitado de trabalhar.... continuar lendo

Em 1961 entraram dois bandidos, (um fugido e outro procurado) no meu pátio, para arrombar o quarto de trabalho do meu pai, que era engenheiro de ferrovias, onde havia ferramentas importadas.
Mataram nossos cachorros e meu pai ouviu e levantou-se, de pijama engatilhando seu revolver S&W calibre 44 que era do meu avô. Atirou duas vezes desde a porta, e depois saiu e rematou os bandidos estourando os miolos deles.
Depois entrou e mandou a gente dormir. Na manhã seguinte chamou a policia para recolher os defuntos.
E ficou por isso mesmo, pois isso foi num pais outrora civilizado: Uruguai. continuar lendo